interna

Aterro x lixão: qual a diferença?

Entenda o porquê da urgência na erradicação dos lixões no País

 

Uma das resoluções previstas na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é a erradicação total dos pontos viciados no Brasil. O país conta atualmente com mais de três mil lixões. A previsão inicial era eliminar todos esses até 2014. No entanto, dado o atual cenário, um projeto de lei prevê a prorrogação para o período de 2018 a 2021.

Muitos ainda se perguntam: qual é a diferença entre lixões e aterros sanitários (modelo apontado atualmente como o ambientalmente mais correto para a realidade brasileira)? Enquanto os primeiros são vazadouros a céu aberto que não possuem critérios, recebendo resíduos sem qualquer tipo de destinação ou tratamento adequado, os segundos respeitam as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas e Técnicas) e contam com diversos avanços.

Confira abaixo um vídeo em que essa distinção é apresentada de uma maneira bem didática:

Leia mais sobre a diferença:

O lixão é um espaço que não conta com preparo para receber detritos. O chorume (líquido resultante da decomposição dos resíduos) fica sem nenhum tipo de isolamento, penetrando no solo e, consequentemente, no lençol freático. Tampouco há gestão do gás metano, originado a partir da decomposição de matéria orgânica, sendo esse associado com o aquecimento global.

Ou seja, com esse tipo de formato, não apenas a água que a gente bebe é comprometida, como também o planeta como um todo. Isso tudo sem mencionar que esses locais atraem diversas pragas urbanas, como ratos e moscas, colocando em risco vidas de pessoas que vivem e trabalham ao redor. Temos como exemplo o Lixão da Estrutural, considerado o maior da América Latina, cujo encerramento foi prorrogado para janeiro de 2018.

Já o aterro sanitário é previamente preparado para receber resíduos. Há diversos aprimoramentos em relação ao formato anterior: impermeabilização do solo, impedindo a contaminação do lençol freático; preocupação com o destino do chorume; captação do gás metano, podendo ser reutilizado como fonte de energia; entre outros. No geral, esses locais contam com um time de profissionais, a exemplo de engenheiros e geólogos, responsáveis por acompanhar e monitorar as atividades.

O Aterro Sanitário Essencis Soluções Ambientais AS, em Caieiras (região metropolitana de São Paulo), não apenas exemplifica os pontos acima, como é considerado um dos mais avançados do País em termos de processos e transparência.