Interna

Horta orgânica: saiba como ter a sua

O Movimento Lixo Cidadão dá dicas sobre como montar seu cantinho verde, que pode ser adotado mesmo em grandes cidades

 

Você já pensou em fazer uma horta orgânica no quintal da sua casa ou até mesmo no seu apartamento? Saiba que isso é possível!

Além de fácil, a cultivação das hortaliças melhora a qualidade de vida, proporciona uma alimentação mais saudável e rica em nutrientes para sua família, contribui para um ambiente sustentável e deixa o espaço mais agradável e aconchegante.

O Movimento Lixo Cidadão reuniu algumas dicas para você na hora de plantar ervas, hortaliças, leguminosas, etc. Confira abaixo:

Selecione o espaço: a escolha do local é muito importante, pois garantirá que a horta orgânica receba, sempre que possível, luz solar. Os canteiros devem ser posicionados na direção norte-sul e fora de áreas encharcadas.

Solo: as plantas precisam de terra rica em nutrientes para que cresçam sem o uso de fertilizantes que são prejudiciais ao meio ambiente.

Plantas: escolher quais espécies de plantas serão cultivadas, pois cada uma delas tem um clima ideal para se desenvolver e crescer.

Regar: os horários ideais para a rega das plantas geralmente são até às 10h da manhã ou depois das 16h. Procure regar apenas as raízes, ao invés, das folhas.

Espaços menores: para espaços menores como apartamentos, opte por plantar as mudas em vasos com furos e que se adequem com o seu desenvolvimento.

Espaços maiores: já para espaços maiores, é aconselhável fazer o plantio diretamente na terra ou em um canteiro com espécies que se desenvolvem em espaços menores e maiores.

Horta doméstica: dicas de quem entende

O Movimento Lixo Cidadão bateu um papo com Cláudio Spínola, da Morada da Floresta, que nos deu várias dicas sobre como montar uma horta caseira. Para quem vive em grandes cidades, ele reforça um aspecto que não pode ser desconsiderado. “É preciso ter incidência de Sol, especialmente se for algo comestível. Um mínimo de quatro horas é o recomendável, lembrando que algumas plantas precisam de mais. Na sede da Morada, que fica em São Paulo (SP), plantamos em cima da casa e dos muros”, destaca.

Outros dois pontos que ele salienta são afinidade e praticidade. “Recomendo também iniciar com temperos e ervas medicinais para chá. É sempre interessante buscar valorizar as plantas que você naturalmente consome, podendo ser um manjericão para a salada ou erva cidreira para fazer um chá”, complementa.

Spínola também pondera que a compostagem para produção de adubo orgânico pode ser um bom caminho para quem está flertando com as hortas domésticas. “Isso naturalmente leva ao plantio, é um caminho esperado”, ressalta. Por fim, sua última sugestão é cobrir a terra com folhas secas, preservando assim os nutrientes do solo.

Para quem busca praticidade, atualmente, a Morada da Floresta trabalha com uma horta vertical com três vasos (veja mais). A pessoa consegue ficar duas semanas sem regar as plantas graças a uma técnica de armazenamento de água.

21105641_1776389739042320_3174388844347642535_n

Horta da Morada da Floresta: “É preciso ter incidência de Sol” (Crédito: Divulgação)

Segundo o CPT (Centro de Produções Técnicas), há pelo menos quatro tipos de hortaliças ideais na hora do cultivo e que são ricas em nutrientes na hora de compor sua alimentação diária. São elas:

• Hortaliças folhosas: espécies como alface, almeirão, rúcula, chicória, brócolis, couve-manteiga, couve-flor;

• Hortaliças de frutos: abobrinha, abóbora, quiabo, pepino, pimentão, tomate, jiló, feijão-vagem, chuchu;

• Hortaliças tuberosas (raízes, tubérculos e rizomas): cenoura, beterraba, rabanete, cará, inhame, batata-doce;

• Hortaliças condimentares: alho, cebola, cebolinha, salsa, hortelã, manjericão, coentro, manjerona.