shutterstock_1029779533

Bitucas de cigarro e outros itens podem ser reaproveitados

Os centros de reciclagem buscam novas alternativas para reaproveitar o maior número de itens possíveis

 

Quando fazemos a nossa coleta seletiva e encaminhamos os itens recicláveis para a cooperativa, temos a sensação de que o trabalho está feito. Mas essa é apenas a primeira etapa de um longo caminho que os descartes enfrentam até chegarem ao consumidor novamente. A jornada é enfrentada por materiais sequer imaginamos que podem ser reaproveitados.

Bitucas de cigarro

shutterstock_619772063
Espalhadas principalmente nos grandes centros urbanos, as caixas coletoras de bituca de cigarro fazem mais do que apenas concentrar este tipo de lixo e tirá-los das ruas e calçadas. Votorantim, no interior de São Paulo, se tornou a primeira cidade do país a ter uma usina de reciclagem exclusivamente para este material. A usina recebe um montante de 130 quilos por mês. Inseridas em um caldeirão com água e soluções químicas por 5 horas, os resíduos se transformam em uma massa celulósica e, logo depois, se convertem em folhas de papel A4. Não é o único destino viável para tirar estes itens das ruas: em Porto Alegre (RS), os vestígios dos fumantes são colocados nas misturas usadas em fornalhas para a produção de cimento, posteriormente usado em construções residenciais.

Óleo de cozinha

shutterstock_502255162

O óleo de cozinha costuma ter um descarte mais correto por parte da população justamente por entupir e corroer os encanamentos residenciais. Mais do que isso, polui rios e mananciais, prejudicando a fauna e flora local. O material, quando encaminhado para pontos de coleta, pode ser transformado em biodiesel: após passar pela remoção de toda a água misturada e por um processo de purificação, o líquido recebe a adição de álcool e de substâncias catalisadoras. Outra alternativa que pode ser feita em casa é a produção de sabão para uso em utensílios domésticos e roupas (você pode aprender a fazer clicando aqui).

Caixas de leite, sucos e água de coco

shutterstock_385205647

Os chamados recipientes longa-vida caíram no gosto dos brasileiros. Fáceis de armazenar e disponíveis nos mais variados tamanhos, as embalagens possuem uma composição de 75% de papel cartão, 20% de filmes de polietileno e 5% de alumínio. Ao serem recicladas, as embalagens são transformadas em palmilhas para calçados, papel toalha, embalagens leves, papelão ondulado, caixa de ovos, papel branco e podem até mesmo retornar como embalagem cartonada novamente. Recomendação: é muito importante lavar as caixas antes de destiná-las aos centros de coletas.