Thumb_Interna

Setor de resíduos sólidos é um dos que mais investe na qualificação profissional de pessoas portadoras de deficiência.

O início de uma nova etapa, cheia de ensinamentos e boas perspectivas. Assim pode ser definida a aula inaugural da nova turma do Programa de Qualificação Profissional para Surdos e Pessoas com Deficiência, realizada no auditório das Faculdades Integradas Rio Branco, em São Paulo.

A iniciativa, que está em sua 17ª edição, é resultado de uma parceria do Selur (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana do Estado de São Paulo) com a Fundação de Rotarianos de São Paulo e o Centro Profissionalizante Rio Branco (Cepro).

Na ocasião, os 47 participantes, com idades a partir de 16 anos, receberam a mochila do curso e as boas-vindas dos representantes das instituições envolvidas.

Estiveram presentes o presidente do Selur, Márcio Matheus; a analista financeira da entidade, Susane Bragança; o diretor de Relações Sindicais, Adalberto dos Santos Oliveira; o secretário do Conselho Comunitário da Fundação, José Americo Fischmann; a diretora do Cepro, Susana Penteado; a consultora do Instituto Modo Paritês, Ivone Santana; e o auditor fiscal do trabalho, José Carlos do Carmo.

“Queremos qualificar e valorizar as pessoas. A expectativa do Selur é gerar oportunidades e promover inclusão”, destacou Márcio Matheus.

Desde 2009, quando o curso foi implantado, 680 alunos já se formaram e aprenderam sobre tecnologia para o trabalho, noções administrativas, matemática, português e habilidades para a vida, com orientações sobre saúde e cidadania.  “Além da questão técnica, de prepará-los para o mercado, buscamos fortalecer a autoestima”, explicou Susana Penteado, do Cepro.

Os formandos farão parte do banco de dados do Selur Social (Sistema Integrado de Vagas e Currículos para Pessoas com Deficiência), portal onde empresas e trabalhadores podem fazer contato e conquistar oportunidades de trabalho.

 

Mais informações.