interna

Livros que semeiam consciência ambiental

Movimento Lixo Cidadão faz um Top 5 de livros sobre gestão de resíduos sólidos, educação ambiental e sustentabilidade

 

Para termos um mundo mais sustentável, é preciso caprichar na conscientização. Uma boa forma de atingir esse objetivo é por meio da leitura que, além de ser uma atividade recreativa, ajuda a formar uma população mais crítica. Selecionamos algumas obras que trazem a temática com abordagens bem distintas. Escolha um livro que tenha mais a sua cara e aproveite a leitura.

O livro “Nós e o plástico”, que acaba de ser lançado e pode ser lido aqui, é um projeto da Plastivida com foco no público infantil. A obra mostra a presença dos plásticos no dia a dia das pessoas, trazendo praticidade, higiene, durabilidade, segurança e bem-estar. Mas o ponto mais relevante é quando ressalta as formas de reutilização, a importância da coleta seletiva, reciclagem e as possibilidades de reutilização. Para ficar mais interativo, o leitor pode brincar ainda com caça-palavras, ilustrações para colorir e palavrinhas cruzadas.

A jornalista de moda Lilian Pacce é conhecida por ser afeita à causa ambiental. Em 2009, ela lançou “Ecobags: moda e meio ambiente” em que destaca uma série de sacolas não-descartáveis assinadas por grifes renomadas. Tudo começou com a exposição “Eu não sou de plástico”, composta por diversas ecobags escolhidas pela autora. A orelha da obra é assinada por Oskar Metsavaht, em que ele comenta: “Acredito que só é possível falar de sustentabilidade se houver união entre seus aspectos social, ambiental e econômico, um necessariamente exercendo influência sobre os outros, compondo um todo indissolúvel”.

A Inova – uma das empresas de limpeza urbana em São Paulo – lançou no ano passado “Histórias de gente – histórias da gente” com 20 relatos de agentes ambientais que trabalham para manter essa capital, que tem cerca de 12 milhões de habitantes, sempre limpa. De acordo com o prefácio, a iniciativa é para mostrar à população da cidade que seus “agentes ambientais, conhecido por garis, possuem muito a nos contar”. São trabalhadores de suma importância para centros urbanos, mas que raramente saem do anonimato.

Publicado em 2012, o “Memórias dos catadores de materiais recicláveis de Assis” é um projeto acadêmico da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), que busca preservar a memória das ações do grupo de catadores de Assis (SP) — integrantes da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Assis e Região (COOCASSIS). A autora sistematizou uma série de relatos desses trabalhadores, expondo o que eles esperam do poder público e da comunidade pelos serviços prestados. É também um retrato da desigualdade social do País. O trabalho pode ser lido na íntegra aqui.

Recentemente, o Movimento visitou a sede do Instituto Estre, em Paulínia (SP), onde teve contato com alguns projetos, entre eles, o “Escolas Sustentáveis”. Na ativa desde 2011, a iniciativa já passou por 78 escolas com projetos diversos, que vão de sessões de troca de conhecimentos a medidas mais práticas sobre como tornar nossa sociedade mais sustentável. Os resultados do “Escolas Sustentáveis” também podem ser conferidos em um livro homônimo, que apresenta as propostas teóricas, discussões metodológicas e experiências práticas, descrevendo ainda os modelos de atividades utilizados nas unidades educacionais.